Entidades beneficiadas com o Mais Nutrição recebem a primeira doação de sopas

14 de agosto de 2019 - 17:23

Helena Demes Assessora de Comunicação e Marketing - Ceasa-CE Tel: (85) 3299-1701

As trinta entidades que já estão sendo beneficiadas com o Programa Mais Nutrição, receberam na manhã desta quarta feira (14), no entreposto da Ceasa-CE, em Maracanaú, um mix de legumes e massas desidratados, para a produção da sopa. Essa é chamada a segunda linha de atendimento do programa, lançado no último mês de junho.

A solenidade contou com a presença da primeira-dama do Ceará, Onélia Santana, da secretária de Proteção Social, Justiça, Mulheres e Direitos Humanos, Socorro França, do secretário de Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz, do presidente da Ceasa-CE, Maximiliano Quintino e da presidente do Instituto Agropolos, Ana Tereza de Carvalho, todos parceiros do Programa.


De acordo com a primeira-dama, o intuito é ampliar o Mais Nutrição para os 184 municípios do Ceará. “Algumas instituições não são beneficiadas por ninguém e estão em total vulnerabilidade e são exatamente essas o meu foco. Vamos capacitar lideres comunitários para fortalecer nosso projeto, juntamente com os demais programas estaduais. Sempre coloquei, e vou repetir o que o (governador) Camilo sempre coloca, sempre temos que ir atrás dos mais vulneráveis”, destaca Onélia Santana.

A entrega do produto estava prevista para outubro, mas pôde ser antecipada em razão da capacidade apresentada nesses meses de funcionamento. O preparo do mix de legumes e massas é feito a partir da doação dos produtos in natura pelos permissionários da Ceasa-CE e das massas doadas pelo grupo M. Dias Branco. Desde o início do programa, cerca de 50 toneladas de frutas, verduras e legumes in natura foram doados a essas instituições, beneficiando 4.323 crianças e adolescentes.

O Mais Nutrição faz parte do Programa Mais Infância Ceará. Estruturado em cima do combate ao desperdício de alimentos, enfrentamento à fome e alimentação saudável, o programa tem como objetivo manter um banco de alimentos “in natura” aproveitando os que seriam descartados pelos permissionários da central de abastecimento, por questões meramente estéticas, mas que permanecem adequados ao consumo humano e com suas características nutricionais preservadas.